Pages

Monday, January 2, 2017


A Cerâmica Nossa de Cada Dia.

A experiência se acumula nas atividades vividas e realizadas no dia a dia. Somos responsáveis por nosso cotidiano. A rotina pode ser massacrante? Sem dúvidas. Mas, é ai que entra a inteligência humana, criando "janelas"  que renovam nosso olhar para as atividades mais simples, como levar uma xícara de café aos lábios.

A arte cerâmica entra por essa janela e provoca, altera gestos condicionados, cria uma nova maneira de interação com o mundo, com as pessoas, com as ocasiões. A cerâmica se intromete. Como toda arte,  faz nosso cérebro recombinar percepções, confronta pensamentos corriqueiros, expressa urgências.

Um copo de água servido em uma cerâmica feita a mão, pode ser aceito despretensiosamente por seu visitante, mas jamais passará desapercebido. Observe o olhar  que  muitas vezes tenta se fazer caber, enquanto a mão percebe a provocação e segue o caminho até a boca. A cerâmica é tátil e seduz. A forma estudada pelo artista, a combinação de cores dos esmaltes criados no calor do forno, a textura que instiga o toque, convida à uma nova experiência.

Uma casa com cerâmica artística tem vitalidade e acima de tudo, personalidade.
Uma escultura, um vaso, um jogo de jantar,  não revelam apenas o artista que os criou, mas muito sobre quem os escolheu.

A cerâmica nossa de cada dia, não nos deixa cair na tentação de sermos atropelados pelo comum,  nos livra do óbvio, do indistinto. É objeto de apreciação que leva a nos conhecermos e percebermos o outro, abre caminhos para conversas e pontos de vista que são mais facilmente  acessados  com nossos interlocutores por meio da arte. Sim, cerâmica quebra, quebra rotinas e abre espaço para reorganizar ideias, tempo para a contemplação, reflexão, para a vivência de sonhos, sonhos de convívio e conversas, 
joie de vivre!


Por Acácia Azevedo.